Blog da Univittá

Minha ração já tem levedura, porque preciso suplementar­?

Minha ração já tem levedura, porque preciso suplementar­?

Muitas rações comerciais possuem em sua composição a levedura Saccharomyces cerevisiae, e por isso surge essa questão sobre a necessidade ou não da suplementação com a mesma.

Antes de responder essa pergunta alguns conceitos precisam ser esclarecidos:

  1. Nem todas as leveduras são termo estáveis; o máximo que uma levedura suporta de temperatura são as leveduras termo estáveis que toleram no máximo 85 graus célsius
  2. O grau de umidade da ração é determinante para garantir a viabilidade da levedura viva;
  3. A concentração de levedura viva por dia, geram diferentes benefícios;

Nas rações peletizadas ocorre um processo de tratamento térmico relativamente alto e instável da ração e que em alguns momentos pode ultrapassar a temperatura de tolerância da levedura e exterminar as mesmas. Dessa forma, caso a temperatura exceda um pouco que seja a temperatura de 80 graus as leveduras morrem nesse processo e sua participação não passará de mais uma fonte proteica e não de ação probiótica. Nesse caso a cada lote produzido a empresa teria que analisar e fazer uma contagem de quantas células viáveis tem na ração. Além disso, as leveduras termoestáveis são muito caras e inviáveis em rações que não sejam “prêmio”.

Quando trabalhamos com leveduras vivas, elas são inativadas e só são ativadas na presença de água ou humidade. Uma ração melaçada dificilmente tem níveis baixos de humidade a ponto de não ativar as leveduras vivas e uma vez ativadas elas morrem em no máximo 48 horas. Um outro fator importante é que o melaço é uma fonte de açúcar, substrato ideal para as leveduras.

No terceiro ponto os benefícios da utilização das cepas de Saccharomyces cerevisiae estão diretamente relacionados com as concentrações  ingeridas por dia. Dessa forma, qualquer inclusão comercial nas rações nas concentrações terapêuticas poderia inviabilizar o custo benefício das mesmas, pois o custo seria alto.

A utilização das leveduras vivas nas rações são de fundamental importância e muito usadas, mas temos que avaliar se as condições, a apresentação e a inclusão condiz ao objetivo que se almeja. Dessa forma, as rações fareladas se apresentam como uma forma confiável de não se perder a viabilidade das leveduras vivas e a utilização do Pro-SACC na inclusão diária vai garantir inúmeros ganhos e benefícios que dificilmente uma ração comercial peletizada atingirá, não por não ter qualidade, mas por não possuir a quantidade recomendada para a principal ação da levedura.  

 

 

Saiba onde comprar produtos Univittá:
Encontre o revendedor mais próximo.
Compartilhe este post:

Postado Por: Allan Rômulo

Allan Rômulo
Medico Veterinário, empresário fundador da Univittá Saúde Animal, pós graduado em administração de empresas pela FGV. Formulador e desenvolvedor de tecnologias para nutrição animal, com experiência em marketing veterinário e venda de produtos de conceito.

Leia Também:

Gostou deste post? Deixe seu comentário