Blog da Univittá

Porque o sal mineral para meu cavalo é tão importante?

Porque o sal mineral para meu cavalo é tão importante?

Quando falamos em sal mineral para equinos, poucas pessoas sabem a importância de uma suplementação bem feita. Uns utilizam as mesma mineralização dos bovinos, outros compram o mais barato, outros utilizam somente o sal branco mesmo, e outros se esquecem de dar ou nem mesmo vê a importância de sua utilização. O fato é que comparada com bovinos que já é muito discutida e imprescindível, para equinos a suplementação deve ser diária e indispensável.

No clima tropical tanto o solo como as forragens apresentam deficiência de alguns minerais ou excesso de outros e esse desbalanço nutricional proporciona baixa de produtividade e/ou desempenho, problemas reprodutivos, além de sérios problemas de saúde e desenvolvimento.

A suplementação de sal mineral bem feita é aquela que garante a ingestão diária de macro e micro minerais na medida certa. Para tanto é importante salientar que essas exigências variam de acordo com as demandas fisiológicas como: estado de lactação, fase de desenvolvimento, atividade física, ou até mesmo as condições ambientais que o animal está vivendo.

A falta da suplementação mineral nos equinos gera inúmeros problemas que podem vir isoladamente ou simultaneamente, refletindo na má formação dos ossos e tendões, reduzindo os índices reprodutivos, provocando o baixo rendimento no esporte e no trabalho, ou até mesmo gerando problemas da saúde ou de desenvolvimento.

Os minerais participam de diversas reações químicas e hormonais, são importantes para o aproveitamento da energia e imprescindível para absorção de diversas vitaminas e nutrientes.

Existem duas fontes de minerais; os minerais orgânicos que são ligados a um aminoácido e comumente encontrados em rações de alto desempenho, e os minerais inorgânicos que são transportados por clássicos transportadores de minerais. Detalhando um pouco mais os minerais orgânicos esses se apresentam para absorção de forma natural no organismo, sendo absorvido pelo sítio de absorção do aminoácido. Esses minerais orgânicos são prontamente transportados para os tecidos corporais através de carreadores de aminoácido e peptídeos.

Imprescindível para formação de células sanguíneas e para muitas atividades bioquímicas do metabolismo corporal os minerais são importantíssimos para mantença do equilíbrio dos fluídos corporais, atividade normal da tireoide e do metabolismo muscular.

Os solos brasileiros são deficientes de muitos minerais e os animais criados extensivamente são dependentes exclusivos das forrageiras para atender suas exigências minerais. Dessa forma, para uma suplementação adequada de uma criação a análise do solo é primordial para suprir as deficiências e atingir o máximo de eficiência na suplementação mineral.

Diversos pesquisadores e clínicos reconhecem a importância de uma boa suplementação mineral, mas essa preocupação deve se estender aos proprietários, pois os equinos sofrem em seu trabalho grandes perdas minerais pelo suor, principalmente nas regiões de clima quente e para contração muscular.

Mas como deve ser feita a suplementação mineral de um cavalo?

Para responder essa pergunta, segue abaixo algumas medidas que contribuem para uma suplementação mineral bem feita:

  1. O sal mineral tem que ser específico para suplementação de equinos e apesar de existir diversas marcas no mercado, a escolha por marcas sérias e confiáveis pode ser um grande diferencial;
  2. O cocho deve ser exclusivo para os cavalos, evitando que haja competições com outras espécies, onde podem ocorrer acidentes;
  3. Deve-se disponibilizar cochos de acordo com a categoria do animal que se deseja suplementar para evitar competições entro os animais e consequentemente baixa no consumo da suplementação, como cochos para potros, éguas gestantes, garanhões etc.;
  4. A suplementação deve ser fornecida a vontade, observando o consumo, pois o excesso pode ser sinal de deficiência nutricional;
  5. O ideal é que a suplementação seja fornecida através de formulações prontas sem o acréscimo de sal comum;
  6. Para qualquer suplementação mineral a composição é de fundamental importância e suas características físicas (forma de apresentação) também, uma vez que isso indicará a qualidade e a quantidade que o animal irá consumir ou será exigida para que a suplementação ocorra;
  7. O sal mineral deve ter uma boa relação cálcio e fósforo que não deve ser inferior a 1:1 e nem exceder 3:1;
  8. O produto deve ser formulado com elementos de alta biodisponibilidade;
  9. Deve ser avaliado a aceitabilidade, pois o produto deve permitir um consumo adequado em relação à exigência;
  10. O produto deve possuir partículas de tamanhos aceitáveis de forma que permitam uma mistura homogênea e sem problemas de segregação;
  11. Consultar o médico veterinário pode ser muito importante, pois ele poderá indicar marcas que estão mostrando melhores resultados ou de melhor custo benefício específico para seu animal; e
  12. O produto deve ser devidamente registrado no Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento.

Como qualquer outra suplementação o sal mineral deve ser usado com critério, e o resultado vem da forma que esses critérios são estabelecidos. Muitos criadores reclamam do volume consumido pelo animal que é muito excessivo, mas garanto que nem tanto. O consumo de sal mineral de um cavalo adulto gira em torno de 60g por dia, mas isso pode varias de produto para produto, do estado de deficiência nutricional que esse animal está passando, ou até mesmo a fase de desenvolvimento. É comum acontecer de um animal que antes era privado de mineralização consumir altíssimas concentrações de produto e em outros dias pouquíssimas, isso ocorre porque o animal está regulando suas necessidades e em poucos dias esse consumo se regulará.

O importante é que de mamando a caducando a suplementação mineral deve ser feita e a associação dessa suplementação com aditivos funcionais pode gerar benefícios jamais vistos no ganho de massa muscular, desempenho atlético, ganho de peso, melhoria dos índices reprodutivos, prevenção e tratamento de enfermidades e principalmente melhoria da saúde intestinal e qualidade de vida do animal.

Alguns aditivos funcionais como o Pro-SACC garantirá a melhoria da digestibilidade e aproveitamento da dieta total do animal, possibilitando melhoria da pelagem, ganho de peso e qualidade dos cascos. Já o MOS, um aditivo funcional prebiótico auxilia na melhoria da imunidade, neutralização de bactérias patogênicas e adsorção de micotoxinas, responsável por diversas perdas de produtividade e do desempenho atlético dos equinos.

Suplementos e aditivos existem vários, mas pousos são suplementos e aditivos funcionais.

Saiba onde comprar produtos Univittá:
Encontre o revendedor mais próximo.
Compartilhe este post:

Postado Por: Allan Rômulo

Allan Rômulo
Medico Veterinário, empresário fundador da Univittá Saúde Animal, pós graduado em administração de empresas pela FGV. Formulador e desenvolvedor de tecnologias para nutrição animal, com experiência em marketing veterinário e venda de produtos de conceito.

Leia Também:

Gostou deste post? Deixe seu comentário