Blog da Univittá

Posso usar brachiaria para alimentar meu cavalo?

Posso usar brachiaria para alimentar  meu cavalo?
Nativa da África, as brachiarias foram introduzidas no Brasil como plantas forrageiras e transformaram-se em uma espécie invasora de diversos cultivos de forrageiras por todo o país. Como invasora, ela compete com as gramíneas nativas e sufoca o desenvolvimento dos campos cultivados de volumoso. Como pastagem cultivada, transformou a pecuária no Brasil Central em atividade lucrativa, pois as pastagens de braquiária bem manejadas são responsáveis pela cria, recria e engorda de bovinos com sustentabilidade e colocaram o Brasil na posição de maior exportador de carne bovina no mundo.

Mas e para equinos? Ela pode ser usada? 

Capins do gênero brachiaria devem ser evitados na formação de pastagens para eqüinos, pois algumas espécies como a brachiaria decumbens, por exemplo, são rejeitas pelos animais. Algumas causam fotossenbilização hepatógena, uma doença que afeta principalmente as partes despigmentadas dos animais, problema esse bem evidenciado também na criação de ovinos. A brachiaria humidicola, no entanto, além de apresentarem alto teor de oxalato, que sequestram o cálcio tornando-o indisponível para o animal provocando a “cara inchada” nos equinos adultos e “epifisite” em potros. 

Você diz que equino não come, mas o meu come, por quê?

Quando tem braquiária, o cavalo consome o suficiente para não morrer fome. A brachiaria é um capim que tem sementeira, dando semente várias vezes ao ano, o equino come a semente para se manter, mas a planta tem baixa palatabilidade para os equinos. 
O tifton é uma das gramíneas consideradas ideais para os cavalos por ter uma concentração baixa de ácido oxálico (menos de 0,5% por quilo de matéria seca) e alta palatabilidade. Eles se desenvolvem muito bem, é uma grama que suporta bem o pisoteio e isso é importante por causa desta característica dos cavalos, caminhar bastante enquanto comem. Eles pastam 20 horas por dia e sempre se locomovendo, explicou. No entanto, Duarte avisou que a gramínea é exigente em relação à fertilidade do solo. 

Pensando em alguns malefícios que a ingestão da brachiaria gera a Univittá desenvolveu e disponibiliza o NewAlgas, uma alga marinha calcária Lithothamnium calcárium. O NewAlgas é uma fonte nobre de cálcio que ao suplementar o animal que ingere essa gramínea disponibiliza um cálcio de altíssima solubilidade e biodisponibilidade, prevenindo o problema mais comum na criação de equinos, a cara inchada dos cavalos adultos e a epífise dos cavalos jovens. Com apenas 20g por dia em poucas semanas os sintomas de ambas as patologias sessam e a prevenção das mesmas estarão mais que garantida.
Saiba onde comprar produtos Univittá:
Encontre o revendedor mais próximo.
Compartilhe este post:

Postado Por: Allan Rômulo

Allan Rômulo
Medico Veterinário, empresário fundador da Univittá Saúde Animal, pós graduado em administração de empresas pela FGV. Formulador e desenvolvedor de tecnologias para nutrição animal, com experiência em marketing veterinário e venda de produtos de conceito.

Leia Também:

Gostou deste post? Deixe seu comentário