Blog da Univittá

Gastrite em Equinos

Gastrite em Equinos

Gastrite é definida por “Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago”, e isso pode ser oriundo de diversas causas, como manejo alimentar inadequado, estresse com frequência, alguns tipos de vermes, disfunção odontológica e até lesões mecânicas na parede do estômago por ingestão de alimentos fisicamente “grosseiros”. 

O estômago dos equinos produz fisiologicamente o Hcl (ácido clorídrico), com a função de digerir quimicamente o bolo alimentar, que é o alimento apreendido mais a saliva, mastigado e posteriormente ingerido sendo direcionado ao estômago, Também no estômago é produzido o muco com a função de proteger a parede do intestino do pH ácido do ambiente estomacal.  Quando temos algum problema em algumas destas etapas potencialmente poderemos nos deparar com a gastrite podendo evoluir para ulceras que são caracterizadas por feridas na parede do órgão. 

Etiologia

A gastrite como vimos à cima pode apresentar diversas causas, porém as mais comuns são:

  • Manejo alimentar inadequado, onde o animal passa longos períodos em jejum e em situações que o animal tende a ingerir menos volumoso e mais concentrado;
  • Estresse frequente como viagens constantes, ritmo intendo de treinamento;
  • Uso indiscriminado de antiinflamatórios não esteroidais, que inibem a produção do muco protetor do estômago;
  • Aerofagia, pois o animal deglutindo ar a quantidade de Hcl no estômago será maior que a quantidade do bolo alimentar e isso lesiona a mucosa;
  • Verminoses, alguns vermes possuem parte do seu ciclo de vida presente no estômago dos equinos, como espécies do gênero Gasterophilus e Habronema, causando irritações e lesões no órgão
  • Lesões mecânicas, quando o animal ingere algum corpo estranho ou alimentos muito grosseiros como o feno ou capim muito seco e com a presença de talos, isso pode se dar também pela falta de eficiência dos dentes do animal em mastigar e degradar o alimento corretamente, e isso pode irritar e lesionar a mucosa.
 
Sinais Clinicos

Os sinais clínicos da gastrite incluem diminuição da ingestão de alimentos, perda de peso, inquietação, salivação excessiva, dor ao se alimentar, podendo estar presentes também sinais de cólica como olhar para o flanco, cavar e deitar.  


Prevenção e Controle

Fornecer maior quantidade de volumoso de qualidade ao animal, com maior frequência já é uma forma de reduzir muito o risco de gastrite, assim como o uso conceituado de antiinflamatórios não esteroidais. Pode-se também evitar o estresse do animal e tomar as medidas necessárias para que o animal não seja parasitado por vermes de estômago, estas medidas com certeza contribuirão também para o não aparecimento da gastrite.  

Diagnóstico 

O diagnóstico é feito após um exame clinico, baseado nos sinais clínicos e no histórico do animal e confirmado por um exame de gastroscopia. 

Tratamento

Para o tratamento precisamos identificar a causa principal desta enfermidade, eliminando-a e posteriormente entrando com um tratamento adequado. Este pode ser feito com inibidores da secreção de ácido clorídrico juntamente com protetores da mucosa gástrica ou estimulantes de produção de muco.


Podemos utilizar junto as medidas de prevenção o ENDOGASTRIN, um suplemento que age neutralizando o ácido clorídrico do estômago, além de possuir em sua composição vitaminas, minerais e aminoácidos que propiciam uma exclusiva segurança gástrica e intestinal.

Saiba onde comprar produtos Univittá:
Encontre o revendedor mais próximo.
Compartilhe este post:

Postado Por: Jayme Rocha

Jayme Rocha
Apaixonado por cavalos, treinador e estudante de Medicina Veterinária, atualmente trabalha no departamento de marketing e relacionamento com o cliente na Univittá Saúde Animal.

Leia Também:

Gostou deste post? Deixe seu comentário