Blog da Univittá

Por que devemos ferrar um cavalo?

Por que devemos ferrar um cavalo?

Os motivos do casqueamento dos equinos

Você pode pensar em argumenar que na natureza um cavalo não usa ferraduras, é verdade. Mas precisamos lembrar que ele também não fica contido em uma baia com espaço limitado, ou é submetido a atividades esportivas, ou trabalha com carga.

O princípio do ato de se ferrar um cavalo é a proteção dos seus cascos contra o desgaste excessivo que sofrem nas atividades exercidas no seu dia a dia. O próprio ambiente em que vivem também é agente de desgaste, já que na maioria dos locais os pisos são duros e abrasivos.

Mas quando se fala em proteção, a afirmação acaba sendo um pouco genérica, então vou te explicar a seguir, mais de perto, os motivos para que você se preocupe mais com a qualidade da ferragem dos seus cavalos.

 

1- Evitar prejuízos.

Esse é o primordial motivo para se ferrar um cavalo. Com a rotina de uso, os cascos sofrem um desgaste excessivo, ocasionando, por consequência, claudicações e diminuição do rendimento. Um cavalo com baixo rendimento por danos nos cascos representa duas coisas: maiores gastos com o tratmento e recuperação dos cascos, e diminuição de sua rentabilidade por queda de produção. Ou seja, prejuízo econômico.

2- Garantir a qualidade de serviços específicos.

Para o trabalho com carga os cavalos de raças de tração, que são destinados para o trabalho pesado, além dos muares e asininos, necessitam de ferraduras específicas para auxiliar durante o serviço. Essas ferraduras são confeccionadas para promover mais estabilidade e tração nos terrenos irregulares, permitindo que os animais desempenhem seu papel com segurança e, consequentemente graças a estabilidade, mais qualidade.

3 - Melhorar a performance esportiva.

O esporte equestre certamente é o mais variado e importante motivo para se ferrar um cavalo, já que existem várias modalidades, e cada uma delas tem particularidades bem definidas.

Ajustar as ferraduras à realidade de cada prova, é comparado com a escolha dos pneus dos carros de Fórmula 1. Cada pista e cada clima se adaptam a um tipo de desenho do pneu e de borracha. Com as ferraduras, cada modalidade equestre exige um tipo de ferradura e cravo específicos, não por questões estéticas ou unicamente de regulamento, mas visando a proteção físisca do animal e do atleta durante a realização dos exercícios.

4- Tratamentos veterinários e melhora da qualidade de vida

O tratamento das desordens do sistema locomotor dos equinos é a razão mais técnica e de difícil execução, já que envolve o trabalho conjunto do ferrador e do médico veterinário.

Um diagnóstico correto e preciso é fundamental para que a ferradura terapêutica seja aplicada de acordo com a necessidade do cavalo, e o tratmento tenha sucesso. O ferrador, para executar esse serviço, deve ter além de qualificação, entender da biomecânica do animal, e ter experiência na aplicação dessas ferraduras.

Um bos casqueamento terapêutico potenciliza a recuperação do animal, garantindo a recuperação total da qualidade de vida do mesmo, e, quando possível, a volta a suas atividades de vida diárias. 

 

Dr. Luiz Gustavo Tenório

Veterinário especialista em ferragem de cavalos

 luizgustavotenorio@gmail.com

 

UM REFORÇO ESPECIAL

Os Minerais presentes no Foot Balance, por exemplo, apoiam o aumento do crescimento e melhoram o desenvolvimento dos cascos e pelos dos animais. Eles consistem em um íon metálico inserido a uma molécula de aminoácido. Esta ligação estável permite que os minerais de alta performance do Foot Balance permaneçam intactos à medida que passam pelo ambiente volátil do estômago, para que possam alcançar o intestino delgado, onde são facilmente absorvidos pela corrente sanguínea e depois transportados para os tecidos e órgãos para utilização.

Os minerais comuns previnem deficiências e proporcionam também crescimento e desenvolvimento normais para o animal. Quando um mineral comum como sulfato de zinco ou óxido de zinco é ingerido, há três resultados possíveis:

  1. O mesmo está ligado a um antagonista e não é absorvido. Antagonistas são outros componentes da dieta que podem interferir na absorção de minerais.
  2. O mineral comum permanece em sua forma original bruta e é excretado.
  3. O mineral comum é ligado a um agente complexante, que serve como veículo para impulsionar a absorção no intestino delgado.

Dessa forma, o fator primordial que precisa ser considerado para diferenciar os Oligoelementos normais dos presentes no Foot Balance é a biodisponibilidade, ou seja, o quanto esse mineral é absorvido e utilizado em um animal. O Foot Balance foi projetado para uma absorção ideal, de modo que eles entram facilmente na corrente sanguínea e agem rapidamente em inúmeras funções metabólicas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Saiba onde comprar produtos Univittá:
Encontre o revendedor mais próximo.
Compartilhe este post:
Dr. Luiz Gustavo Campos Tenório
Médico Veterinário Coordenador da equipe de ferradores dos Jogos Olímpicos Rio 2016 Pesquisador Assistente da UFRRJ/LADEqui Professor de Podologia - Pós Graduação IBVet

Leia Também:

Gostou deste post? Deixe seu comentário