Blog da Univittá

Porque e como utilizar probióticos na antibioticoterapia?

Porque e como utilizar probióticos na antibioticoterapia?
O que são antibióticos e para que servem ?

Os antibióticos são substâncias capazes de inibir o crescimento (bacteriostáticos) ou destruir bactérias (bactericida), controlando assim quadros infecciosos causados por bactérias em humanos e animais. 

Os primeiros antibióticos descobertos eram produzidos por fungos, como a penicilina, atualmente são sintéticos ou semissintéticos. 

Como existem diversas espécies e cepas de bacterianas que acometem os animais, causando-lhes infecção, subclasses específicas de antibióticos também existem para combater cada tipo de infecção isso ocorre porque alguns antibióticos foram desenvolvidos para agirem sobre uma determinada espécie de bactéria. É função do medico veterinário clínico optar pela melhor antibioticoterapia, ou seja, aquela mais eficaz e segura. 

Quais os efeitos colaterais dos antibióticos e por que ocorrem? 

Dentre os efeitos colaterais dos antibióticos, os mais conhecidos nos animais são náusea, vômito, dores abdominais e diarreia, isso em cães e gatos, já nos equinos os dois primeiros são ausentes por particularidades anatômicas e fisiológicas da espécie.  

Isso ocorre por que os animais possuem em seu sistema gastrointestinal uma microflora natural composta por milhares de espécies diferentes de bactérias, protozoários, germes e fungos que vivem em simbiose, auxiliam na manutenção perfeita do ambiente e contribuem para extrair e absorver o valor nutritivo completo do seu alimento. Essa população também é uma importante barreira para impedir a colonização de organismos patogênicos, causadores de doenças.

Quando instalamos uma antibioticoterapia, seja para tratar infecções nos sistemas dos animais como respiratório, cardiovascular, gastrointestinal e até mesmo o sistema nervoso, nós indiretamente prejudicamos essa microflora principalmente quando utilizamos um antibiótico de amplo espectro, ou seja, que inibe o crescimento ou destrói várias espécies e cepas de bactérias, estes agridem diretamente a microflora, uma vez que não distinguem as bactérias patogênicas das que são positivas ao trato gastrointestinal.

Este fato, desfavorece toda fisiologia do sistema gastrointestinal do animal, alterando o PH do ambiente, a digestão e absorção dos nutrientes e até favorecendo a colonização de bactérias potencialmente patogênicas que não são atingidas por estes, o que resulta em quadros significativos e quase sempre presentes de diarreia e dor abdominal nos animais tratados com antibióticos, principalmente quando este tratamento é instalado por longo período.

Por que associar probiótico à base de levedura durante a antibióticoterapia?

As leveduras após ingeridas passam a contribuir para a microflora intestinal normal dos animais, mudando o ambiente gastrointestinal pois elas consomem todo o oxigênio presente, inibindo a colonização de bactérias patogênicas, pois estas em sua maioria são classificadas como aeróbias, ou seja, necessitam de oxigênio para viver e se multiplicar, já as bactérias normais, que fazem parte do sistema gastrointestinal dos animais, são classificadas em sua grande maioria como anaeróbias, ou seja, não necessitam de oxigênio para viver e se multiplicar.

Outro benefício que a levedura trás durante o a antibioticoterapia é a contribuição para a manutenção correta do PH gastrointestinal. Não podemos deixar de citar neste texto também a habilidade que as leveduras têm de aglutinar e neutralizar bactérias patogênicas no intestino, isso se dá pela composição de sua parede celular.

Fica claro então, que o melhor caminho para evitar os principais efeitos colaterais dos antibióticos é proteger e contribuir com a microflora intestinal dos animais durante o tratamento. E atualmente está fácil! A Univittá disponibiliza o Pro-SACC e o Pro-SACC Pet, um aditivo funcional probiótico composto por leveduras vivas de Saccharomyces cerevisiae que pode e deve ser associado à antibioticoterapia e até continuamente nos animais, devido a inúmeros benefícios já documentados nas literaturas técnicas.

Dessa forma, fica claro que a utilização desse tipo de probiótico para cavalo, probiótico para cães e gatos serve para muito mais que garantir a saúde intestinal, serve para garantir o bem estar animal e a superação de suas expectativas tanto na performance quanto na relação com seu animal. 
Saiba onde comprar produtos Univittá:
Encontre o revendedor mais próximo.
Compartilhe este post:

Postado Por: Jayme Rocha

Jayme Rocha
Apaixonado por cavalos, treinador e estudante de Medicina Veterinária, atualmente trabalha no departamento de marketing e relacionamento com o cliente na Univittá Saúde Animal.

Leia Também:

Gostou deste post? Deixe seu comentário