Verdade que as leveduras vivas como o Pro-Sacc não precisa ficar na geladeira?

Verdade que as leveduras vivas como o Pro-Sacc não precisa ficar na geladeira?

Sim, é verdade!! No caso do Pro-Sacc...

Pro-Sacc ou Saccharomyces cerevisiae é um organismo vivo pertencente ao reino dos Fungos e é muito utilizada na fabricação de pão, cerveja, etanol e no caso em questão na alimentação animal.

O fato de não haver a necessidade de ser mantido em geladeira se dá, pela mesma estar na forma inativa, "viva porém inativada". Nessa condição para ser ativada o Pro-Sacc tem que entrar em contato com umidade, ou seja, ela começa a ser ativada no momento que o animal começa a ingerir.

Por esse motivo é muito importante que no momento que ela entrar em contato com algo líquido, o Pro-Sacc deve ser consumido de imediato para que seus benefícios de ativação sejam aproveitados na totalidade.

Como o Pro-Sacc existe também na versão pó, e muitas vezes é o que está disponível na propriedade uma opção de administração seria misturá-lo com óleo de soja ou qualquer coisa do gênero, pois esse recurso pode facilitar a ingestão forçada nos casos de controle de uma diarreia.

Saiba onde comprar produtos Univittá:
Encontre o revendedor mais próximo.
Allan Rômulo
Allan Rômulo

Medico Veterinário, empresário fundador da Univittá Saúde Animal, pós graduado em administração de empresas pela FGV. Formulador e desenvolvedor de tecnologias para nutrição animal, com experiência em marketing veterinário e venda de produtos de conceito.

Mais artigos deste autor
Leia Também
Creep para potros, seus benefícios e como fazer
Creep para potros, seus benefícios e como fazer

Você já utilizou um sistema de creep em seus potros? Sabe os benefícios e como estruturar um? Esse artigo fala sobre isso e muito mais.

Entrevista de Suzana Bresslau, do MAPA, e as medidas de combate à resistência antimicrobiana
Entrevista de Suzana Bresslau, do MAPA, e as medidas de combate à resistência antimicrobiana

O uso indiscriminado e equivocado de antibióticos ameaça a vida humana, animal e o meio ambiente. Que riscos e quais dados atestam a gravidade da situação?

Gostou deste post? Deixe seu comentário